Cronometragem no Estudo de Tempos e Métodos

Compreenda os benefícios da aplicação de estudos de cronoanálise nos dias atuais

As diferentes maneiras em que uma atividade ou serviço pode ser realizada está diretamente ligada ao seu tempo de execução. Desse modo, reduzir ao mínimo esse tempo, melhorar seus processos, fazer o melhor uso dos seus recursos (pessoas, máquinas, materiais, etc.) é um diferencial competitivo para qualquer organização, quer sua estratégia priorize redução de custos (eficiência) ou rapidez (pilar da Competição Baseada no Tempo - Time Based Competition). Neste post traremos a temática do estudo de Tempos e Métodos em especial a cronoánalise, bem como seus principais elementos, características e vantagens.

Introdução

O estudo de tempos e métodos visa desenvolver o método de trabalho mais adequado buscando o menor custo possível. É uma ferramenta valiosa que permite analisar os processos e criar métodos eficazes para aumentar a produtividade e melhorar os resultados da organização.

A cronometragem por meio da obtenção de uma medida de tempo padrão permite conhecer o tempo ideal para execução de uma atividade, visando a racionalização do trabalho, onde toda operação industrial deve ser um processo planejado, padronizado e livre de qualquer tipo de desperdícios.

As melhorias decorrentes do estudo dos tempos e métodos são constatadas rapidamente. Os resultados obtidos geram dados e informações para auxiliar os gestores na tomada de decisões mais assertivas. Permite controlar melhor a operação, fazer melhor uso dos seus recursos e criar indicadores de desempenho.

Origem do Estudo de Tempos

Frederick Taylor foi o precursor do estudo de tempos através da administração cientifica. Taylor buscava métodos de trabalho mais eficientes e que pudessem ser comprovados cientificamente.

Segundo Milnitz (2018, p. 29),

Os estudos sobre medida do trabalho iniciaram em 1881 com as verificações precursoras de Frederick W. Taylor. Ao empregar o cronômetro para medida do trabalho, começou-se um extraordinário campo da Gestão Industrial, conhecido atualmente como “Estudo do Tempo e Métodos”, “Cronoanálise” ou “Medida do Trabalho”. 

O estudo do tempo está diretamente relacionado ao método do trabalho. Taylor desenvolveu uma análise detalhada do trabalho, selecionou os trabalhadores mais hábeis de cada departamento, estudou suas operações e movimentos, cronometrou o tempo gasto para realização das tarefas e eliminou os movimentos desnecessários.

Cujo estudo resultou na racionalização do trabalho que pudesse ser mensurado através de uma medida de tempo padrão. Onde toda operação industrial deve ser um processo planejado e padronizado, livre de qualquer tipo de desperdício.

Segundo Barnes (1999, p. 24) “O estudo de tempo é o elemento da administração científica que torna possível a transferência da habilidade da administração para os operários”.

Para Milnitz (2018, p. 3) “O estudo dos tempos e métodos, também chamado de estudo do trabalho, é um fator fundamental para avaliar a capacidade e a produtividade dentro das organizações”.

Com o passar dos anos e diante de muitas evoluções tecnológicas o estudo de tempos continua sendo uma ferramenta valiosa que permite analisar os processos e criar métodos eficazes para aumentar a produtividade e melhorar os resultados das organizações.

O Tempo Padrão

O tempo padrão é uma medida de tempo ideal necessário para execução de uma atividade, seja executado por um operador ou uma máquina.

Há diferentes maneiras de realizar a coleta de tempos. O método a ser utilizado depende do objetivo da coleta, dos dados disponíveis ou por convenção prévia estabelecida pela empresa que deseja realizar a coleta.

De acordo com Martins e Laugeni (2005, p. 84),

A eficiência e os tempos padrões de produção são influenciados pelo tipo do fluxo de material dentro da empresa, processo escolhido, tecnologia utilizada e características do trabalho que está sendo analisado. Os tempos de produção de linhas automatizadas variam muito pouco, e quanto maior a intervenção humana na produção, maior é a dificuldade de se medir corretamente os tempos, uma vez que cada operador tem habilidades, força e vontades diferentes.

Segundo Milnitz (2018, p. 29 apud Coelho, 1997), “é indispensável que sejam aplicadas certas técnicas para definir o tempo necessário à realização de uma determinada atividade [...]”.

As principais técnicas para determinação do tempo padrão são: tempos históricos, tempos estimados, amostragem do trabalho, M.T.M (Methods-Time Measurement) e cronometragem.

A cronometragem é uma das técnicas mais utilizadas, por isso será aprofundada a seguir.

A Cronometragem

A cronometragem é uma das técnicas mais utilizadas para determinação dos tempos. É um método direto, pois consiste na tomada de tempo de uma operação in loco gerando dados bastante confiáveis e resultados satisfatórios.

Conforme Martins e Laugeni (2005, p. 84),

A cronometragem é um dos métodos mais empregados na indústria para medir o trabalho. Em que pese o fato de o mundo ter sofrido consideráveis modificações desde a época em que F.W.Taylor estruturou a Administração Cientifica e o estudo de tempos cronometrados, objetivando medir a eficiência individual, essa metodologia continua sendo muito utilizada para que sejam estabelecidos padrões para a produção e para os custos industriais. 

A cronometragem permite o conhecimento detalhado das operações, evidenciando pontos de melhoria, a criação de métodos de trabalho mais adequados e livres de desperdícios, o aumento da produtividade atrelado ao menor custo possível.

Conforme Milnitz (2018, p. 43),

A cronometragem é de grande valor para manufatura atualmente, pois é empregada como instrumento que, além de auxiliar na definição do tempo padrão, ajuda na estruturação dos processos, sendo um instrumento que segue o desenvolvimento contínuo das melhorias.

A tomada de tempo efetuada pela cronometragem é uma atividade simples, porém requer um profissional habilitado, com conhecimentos das técnicas necessárias.

Os equipamentos indispensáveis são um cronômetro mecânico ou digital. Atualmente o cronômetro digital é mais eficiente pela sua facilidade na leitura, pois já fornece o tempo real, e possui marcação contínua. Ou seja, as leituras são feitas diretamente no cronômetro e registradas e uma folha para apontamentos.

Uma filmadora ou máquina fotográfica são equipamentos auxiliares que permitem avaliar com mais detalhes a operação, pois fazem registros fiéis de todos os movimentos executados permitindo avaliar se o método do trabalho e a velocidade foram respeitados.

Também é indispensável uma folha de observações e apontamentos. Onde serão registrados os respectivos tempos e demais informações relativas as operações coletadas e também uma prancheta utilizada para apoiar a folha de observações e o cronômetro.

Para a realização da cronometragem é necessário executar uma operação de acordo com um método pré estabelecido. Considerando um operador apto e treinado, que possui uma habilidade média, trabalhando num esforço médio durante toda sua jornada de um dia de trabalho.

Para calcular o tempo padrão (TP) é preciso considerar as variáveis como: o tempo médio (TM), a avaliação da velocidade do operador, que é determinado como fator de ritmo (FR), tempo normal (TN) e fator de tolerância (FT) que diz respeito a fadiga e tempo para necessidades pessoais.

A Cronometragem constitui-se numa ferramenta valiosa que permite analisar os processos e criar métodos eficazes para aumentar a produtividade e melhorar os resultados da organização. Pode ser aplicada a qualquer tipo de negócio ou atividade manufatureira que deseja através de levantamento de tempos, movimentos e de análises de métodos obter as seguintes vantagens:

  • Auxilia na medição da produtividade e na identificação da capacidade produtiva;

  • Gera subsídios fundamentais para o balanceamento de linhas e células de produção e a consequente estimativa de mão-de-obra;

  • Fornece bases para a criação de programas de incentivo por produção;

  • Ao ser associada com a padronização, permite estabelecer os melhores padrões de execução de atividades e tarefas;

  • Fornece dados para a determinação de custos para produtos novos;

  • Constitui-se num aliado do estudo de arranjos físicos.

Enfim, se conduzido de maneira sistemática, mantendo os cuidados com a atualização de parâmetros atividades críticas a Cronoanálise atua para minimizar desperdícios diversos e encurtar tempos de ciclo e de atravessamento.

Considerações Finais

O estudo dos tempos e métodos é uma ferramenta valiosa que permite analisar os processos e criar métodos eficazes para melhorar os resultados da organização. Está diretamente relacionado ao método de trabalho e as melhorias são constatadas rapidamente.

A utilização dessa ferramenta traz inúmeras vantagens competitivas e com baixo custo de investimento. Pois o segredo está na análise dos dados e informações obtidos pelo estudo de tempos e métodos. Assim como na aplicação de diversas técnicas para racionalização do trabalho e eliminação dos desperdícios.

As medidas de tempo padrão, a criação de melhores condições de trabalho e a produtividade são atividades interligadas e formam a base de uma administração mais eficiente e focada em resultados reais.

Se precisar de ajuda nesta jornada conte com a EXCENT Consultoria.



Autor: Aline Jochem, Eng. de Produção

Bibliografia


BARNES, Ralph. Estudos dos Movimentos e dos Tempos. São Paulo: Edgard Blücher, 1999.

MARTINS, Petrônio Garcia; LAUGENI, Fernando Piero. Administração da Produção. São Paulo: Saraiva, 2005.

MILNITZ, Diego. Tempos e Métodos Aplicados a Produção. Indaial: Uniasselvi, 2018.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branco Facebook Ícone
  • White YouTube Icon