A Importância do Mercosul no Comércio Exterior Brasileiro


Conheça mais sobre o bloco econômico que geralmente é o canal de entrada de pequenos exportadores brasileiros.

Consideramos o Brasil um país do tipo protecionista, ou seja, que protege sua indústria nacional. Afinal, o Brasil é um país continental e tal atitude é de certa forma compreensível. O Mercosul é um dos poucos blocos econômicos que o Brasil faz parte. Se você é empreendedor, importador ou interessado no tema, continue lendo para conhecer melhor este bloco econômico.

Dados Atualizados do Mercosul


O Mercado Comum do Sul, ou Mercosul como geralmente falamos, foi criado em 1991. Atualmente participam ativamente do bloco o Brasil, a Argentina, o Uruguai e o Paraguai. A Venezuela está suspensa do bloco desde 2016, devido a crise política e financeira instalada no país.


Os países Chile, Peru, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana e Suriname são observadores do bloco, e não possuem poder de voto e decisão.


Desde o início do bloco e durante todo o percurso dele até agora, o Brasil ocupou uma posição de liderança entre os Estados Parte. Justamente por ser o país mais populoso e de maior Produto Interno Bruto, o Brasil exerce influência sobre os demais países participantes.


O destaque do Brasil é evidente quando se avalia as dimensões geográficas e demográficas do bloco:


  • Com 12 milhões de km², o Mercosul abrange cerca de 72% da América do Sul e tem uma área, aproximadamente, três vezes maior que a da União Europeia. O Brasil ocupa mais de 65% desse espaço.

  • A população do bloco chega aos 275 milhões de habitantes, dentre os quais, cerca de 70% são brasileiros.

Além disso, o Mercosul equivale à quinta maior economia mundial (com PIB de R$ 2,7 trilhões), e as trocas comerciais internas no bloco cresceram 12 vezes desde a instituição dele.


Nesse cenário, o comércio internacional de empresas brasileiras no bloco (tanto importação, quanto exportação) aumentam todos os anos. Em 2019, enquanto 56% das exportações brasileiras para o mercado fora do bloco são de bens industrializados — o restante sendo de matérias-primas —, o índice chega a 84% no Mercosul.


Mas qual o impacto do Mercosul nas empresas brasileiras? É sobre este tema o próximo tópico.


Mercosul x Brasil


O Mercosul se apresenta como uma importante oportunidade de entrada no mercado internacional para as empresas brasileiras. Trata-se de um bloco econômico com culturas semelhantes e logística facilitada. Para realizar o transporte de mercadorias para os países do bloco, é possível utilizar os modais marítimo ou rodoviário.


O Mercosul fortalece a economia regional, aumenta o intercâmbio de tecnologia entre os países e, claro, favorece as exportações e importações, especialmente para as empresas brasileiras. Além disso, facilita o turismo entre os países do bloco. Para conhecer a Argentina, Paraguai ou Uruguai, o turista brasileiro não precisa apresentar passaporte, apenas o RG.


Quando uma empresa inicia seu processo de internacionalização, costumamos sugerir o estudo de mercado com os países do Mercosul. Por diversos motivos, mas geralmente se destaca a menor exigência nas negociações, menor burocracia documental para exportar e menos custos logísticos e tributários para o produto adentrar em outro país.


Consequentemente o produto chegará com um preço mais competitivo e a empresa poderá adquirir a experiência necessária no comércio exterior.

Menos Burocracia


Estamos cansados de ouvir esta palavra, pois sabemos o quanto ela atrapalha nosso dia-a-dia, certo? De modo geral, exportar ou importar do Mercosul exigirá menos documentos e menos pagamentos de impostos:


Isenção do Imposto de Importação: O Imposto de Importação, fator fundamental nas transações aduaneiras, não é levado em consideração para muitos produtos que circulam entre os países do Mercosul.

Para que os produtos sejam beneficiados, é necessário que tenham um “índice de nacionalização” de, no mínimo, 60%. Ou seja, 60% do produto precisa ter sido produzido em um dos países membros, e isso deve ser comprovado a partir do Certificado de Origem.

Tarifa Externa Comum: A Tarifa Externa Comum (TEC) é a tarifa aduaneira estabelecida pelos países do Mercosul para importação de produtos de países externos, como uma estratégia para aumentar a competitividade dos mercados do bloco. Ela pode variar, em geral, de 0% a 20%.

Os produtos que circulam no bloco são parametrizados segundo a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), trata-se de códigos utilizados no comércio exterior que caracteriza os produtos em seus insumos e alíquotas tributárias.

Fique por dentro do blog da Excent Consultoria para ler artigos atualizados sobre o comércio exterior.


Até o próximo artigo!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branco Facebook Ícone
  • White YouTube Icon